Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Avaliador de imóveis

Este blogue pretende, de uma forma simples, esclarecer as questões sobre avaliação de imóveis, máquinas ou de equipamentos, e, ao mesmo tempo, revelar o dia a dia de um avaliador de imóveis!

A avaliação de imóveis e a Diretiva 2013/34/EU (Nova Diretiva de Contabilidade)

Através da Diretiva 2013/34/EU promove-se a alteração daDiretiva 2006/43/CE e a revogação das Diretivas 78/660/CEE e 83/349/CEE, comconsequências nas demonstrações financeiras anuais, nas demonstraçõesfinanceiras consolidadas e nos diversos relatórios que lhes estão adstritos.  

O foco principal desta nova Diretiva está no aligeirar dacarga administrativa para as pequenas empresas e a harmonização em toda a UniãoEuropeia, com a não transposição para estas das normas emanadas pelas IAS/IFRS.

João Fonseca / Avaliador de imóveis / 919375417


Importa portanto refletir se esta nova disposiçãocomunitária tem reflexos na sobreposição do “custo histórico” relativamente ao “justovalor”  e até que ponto afeta a avaliaçãodo património imobiliário das empresas para efeitos contabilísticos.

De facto, há o reconhecimento que as rúbricas devem sermensuradas de acordo com o principio do custo de aquisição ou de custo deprodução, apesar dos estados membros poderem autorizar ou mesmo exigir amensuração de um ativo fixo pelas quantias revalorizadas e a mensuração do justovalor.

Acrescente-se também a chamada de atenção da Diretiva para que“as demostrações financeiras anuais das empresas deverão ser elaboradas deforma prudente e deverão dar uma imagem verdadeira e apropriada dos ativos epassivos, da posição financeira e do lucro ou prejuízo”.

No que diz respeito aos “excedentes de revalorização” dosativos fixos continua a ser possível a sua conversão em capital, pela parteou pela sua totalidade, em qualquer momento, podendo, no entanto, só poderser distribuído, direta ou indiretamente, desde que se seja obtida uma mais-valiarealizada.

Apesar de ainda terem de ser definidas algumas regras pelosestado membros, e concretamente pelo estado português, e da exigência de maiorrigor da Diretiva, mantêm-se, em nossa opinião a absoluta prevalência do “justovalor” relativamente ao “custo histórico” como objetivo de uma contastransparentes e saudáveis, que transmitam para o mercado uma imagem correta dasempresas portuguesas.

As empresasdevem organizar-se por forma a monitorizarem permanentemente as suas contas (ainformatização da contabilidade permite isso), a estimarem os resultados de fimde ano e, muito importante, a preverem se uma reavaliação dos ativos fixostangíveis lhes pode servir, entre outros aspetos, para:

- Daruma imagem verdadeira e apropriada das suas demonstrações financeiras, o que éuma imposição da adoção do Sistema de Normalização Contabilística e da Diretiva2013/34/EU, que responsabiliza os órgãos de gestão de fiscalização das empresas.De facto, as demonstrações financeiras devem dar uma imagem fiel do património;


- Até que pontouma reavaliação do património pode reverter situações como a não observância doartigo 35º do Código das Sociedades Comerciais, ou a não observância de ráciosde autonomia e solvabilidade adequados, que podem inviabilizar uma qualquercandidatura, um empréstimo bancário ou mesmo uma garantia.



Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

As minhas páginas:

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D