Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Avaliador de imóveis

Este blogue pretende, de uma forma simples, esclarecer as questões sobre avaliação de imóveis, máquinas ou de equipamentos, e, ao mesmo tempo, revelar o dia a dia de um avaliador de imóveis!

A importância da IFRS 13 na estimativa do justo valor


O IASB (InternationalAccounting Standards Board) emitiu, em 12 de Maio de 2011, a IFRS 13, queestabelece as orientações para a estimativa do justo valor (preço que deveriaser recebido na venda de um ativo ou que deveria ser pago pela transferência deum passivo numa transação corrente entre os participantes no mercado na data damensuração) quando este é exigido por outras IFRS.

As IFRS's estão vertidas para o normativo nacional por intermédio das Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro (NCRF).

Esta norma é aplicável paraexercícios iniciados ou a iniciar após 1 de janeiro de 2013, encontrando-seainda em processo de adoção pela União Europeia. No entanto, pensamos quedeverá ser de aplicação por todas as empresas que adotem, face à legislação emvigor (decreto-lei n.º 35/2005, de 17 de fevereiro), as Normas Internacionaisde Contabilidade.

No que diz respeito àavaliação de ativos não financeiros, área onde nos incluímos, este novo normativo temimplicações relevantes nos procedimentos que têm vindo a ser adotados.Permitimo-nos, então, chamar a atenção para os seguintes aspetos:

- A estimativa do justo valordeve classificar os elementos utilizados na avaliação em três hierarquias, aschamadas hierarquias do justo valor, dando-se a máxima prioridade  aos preços cotados em mercados ativos;

- A utilização da máxima emelhor utilização para a estimativa do justo valor dos ativos não financeiros;

- A mensuração do justo valordeve levar em conta as características do ativo e não as características de umaentidade.

Aconselhamos a leitura destanorma a todos os intervenientes na avaliação patrimonial, desde os peritosavaliadores até às administrações das empresas, porque um desconhecimento destanova realidade pode colocar em risco as demonstrações financeiras das entidades.

7 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

As minhas páginas:

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D