Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Avaliador de imóveis

Este blogue pretende, de uma forma simples, esclarecer as questões sobre avaliação de imóveis, máquinas ou de equipamentos, e, ao mesmo tempo, revelar o dia a dia de um avaliador de imóveis!

PAOJ

No artigo de hoje, escrevemos sobre a organização que representaos Peritos Avaliadores da Lista Oficialda Justiça, a PAOJ. O seu site da internet é: http://www.paoj.pt/

Tem desde logo uma virtude, que é o facto de ter sede nointerior do país, mais propriamente em Vila de Rei.

A existência destes técnicos advém do Código dasExpropriações, que prevê, quer no procedimento relativo à declaração deutilidade pública, quer no procedimento relativo à efetivação da posseadministrativa, quer no processo de expropriação litigiosa, na fase daarbitragem e em recurso desta, a intervenção de peritos da lista oficial.

Em fase de recurso, a colaboração dos peritos designadospelas partes também é fundamental para a fixação do montante destinado agarantir o pagamento da justa indemnização aos expropriados.

Ficamos muito satisfeitos, enquanto profissionais daavaliação de património, com o aparecimento desta organização, que tem tido umaação muito assertiva no que é a valorização profissional dos PeritosAvaliadores da Lista Oficial da Justiça.

É o caso da publicação da lista de peritos oficiais, com osseus contactos e áreas de trabalho, onde, de uma forma transparente, permite aqualquer cidadão atestar qualquer eventual incompatibilidade.

Também referente a este aspeto, da transparência, gostaríamosque a PAOJ estudasse uma postura ainda mais rigorosa no que é a transparência dostécnicos, que têm um papel muito importante, enquanto garantes da legalidade eda justiça.

Fizemos um pequeno estudo da lista oficial e verificamos, namelhor das hipóteses, o seguinte gráfico:



Pelo menos 33% dos peritos pertencem às entidadesexpropriadoras. Dizemos “pelo menos”, porque muitos dos peritos que seencontram aposentados também trabalhavam para aquelas entidades e existem aindaperitos de firmas particulares que trabalham para as empresas públicasexpropriadoras (nomeadamente Estradas de Portugal e concessionárias)

Parece-nos sustentável (não querendo meter “a foice em searaalheia”) que a PAOJ deveria um Código de Ética rigorosíssimo, onde acautelasseo aparecimento de incompatibilidades.


Talvez um pequeno exemplo, real, transmita melhor a nossa preocupação.Num processo expropriativo de uma câmara municipal, em sede de arbitragem, doisdos árbitros tinham, ou tinham tido, relações profissionais e politicas estreitascom câmaras municipais. 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

As minhas páginas:

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D