Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Avaliador de imóveis

Este blogue pretende, de uma forma simples, esclarecer as questões sobre avaliação de imóveis, máquinas ou de equipamentos, e, ao mesmo tempo, revelar o dia a dia de um avaliador de imóveis!

IPD, wacc e o avaliador de imóveis!

Como ponto prévio, é necessário explicar o que entendemos por IPD e por wacc.


IPD é a sigla de Investment Property Databank, responsável, em conjunto com a Imométrica, pela publicação do Índice Imobiliário Anual Português IPD. O IPD foi criado em 1095, em Londres, e dedica-se à produção de medidas de performance de investimento e análise do mercado imobiliário.

João Fonseca, avaliador de imóveis,joao.fonseca@formatos.pt

Já a wacc é o acrónimo de weighted average cost of capital (custo médio ponderado de capital) e é muito útil para a avaliação de imóveis, nomeadamente na estimativa do valor através de Fluxos de Caixa Descontados.

Para um melhor conhecimento deste conceito aconselhamos a leitura dos nossos artigos:



Como se pode verificar nestes artigos, um dos itens necessários à estimativa da wacc, através da rentabilidade dos capitais próprios, é a taxa de retorno esperado do mercado (Rm). A pergunta que surge, naturalmente, é onde podemos encontrar esta taxa. 

E é aqui que assume importância o Índice Imobiliário Anual Português IPD. 

Se bem repararmos, este documento fornece-nos o retorno total (%) por mercado imobiliário. 

O nosso Rm! O avaliador de imóveis e a avaliação de imóveis agradecem!

Existem outras publicações que também nos podem ajudar. Lembramo-nos, por exemplo, da BPrime, com o seu Prime Watch, que é um relatório do mercado de escritórios da cidade de Lisboa.

Curiosamente, existe uma discrepância muito elevada entre os dois documentos, quanto ao valor do retorno do mercado de escritórios. Enquanto o índice IPD apontou um retorno na ordem dos 5,9%, o Prime Watch aponta um retorno de 22,4%!

Existirão razões para esta diferença acentuada?

Talvez um dos índices esteja muito dependente dos fundos imobiliários, cujas avaliações não desceram o que deveriam ter descido quando o impacto da crise foi elevado e que da mesma forma também não possam subir o que o mercado dita nos dias de hoje.

Será?

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Links

As minhas páginas:

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D